top of page
  • CBN Ponta Grossa

Ampliação do mercado livre podem trazer economia de até 35% na conta de luz

A partir de janeiro de 2024, consumidores do grupo A poderão escolher fornecedor e comprar energia em mercado que oferece poder de escolha e previsibilidade

Foto: Divulgação

A partir do dia 1º de janeiro de 2024, pequenas e médias empresas que contratam energia em alta tensão e fazem parte do chamado grupo A poderão participar do mercado livre de energia e economizar até 35% na conta de luz. O ambiente de contratação livre, como também é conhecido, é uma modalidade de venda de energia em que os clientes têm mais liberdade para negociar a compra da energia elétrica, e discutir preço, quantidade a ser adquirida, período de fornecimento e condições de pagamento.


Atualmente, somente consumidores com demanda de no mínimo 500 kW (quilowatts) podem participar do mercado livre. Dentro de dez dias, a regra muda e todos os clientes do grupo A, independentemente da demanda contratada, poderão participar do mercado livre. Os clientes que tiverem interesse podem se antecipar e garantir a migração para o ambiente de contratação livre mesmo antes da virada do ano.


Essa ampliação vai beneficiar diretamente pequenas e médias empresas como mercados, padarias, açougues e outros centros comerciais que hoje ainda são atendidos no ambiente de contratação regulada, como a maioria dos clientes.



Quem pode migrar


Com a expansão do mercado livre, a partir do próximo ano 12.800 unidades consumidoras do Paraná poderão migrar para o mercado livre de energia. “Na prática, essa mudança beneficia clientes que, em média, possuem uma conta de energia mensal de R$ 5 mil ou mais. Se esse é o seu caso, vale a pena procurar a Copel e verificar se você poderá migrar”, explica João Acyr Bonat, superintendente de clientes de energia da Copel.



Previsibilidade e economia


No ambiente livre, os consumidores podem escolher de quem vão comprar energia, o que o torna mais diversificado e competitivo. Isso leva a uma redução de preços e a um aumento na eficiência das comercializadoras, que vendem energia aos consumidores. Além disso, os preços são pré-definidos em contrato, o que permite que os consumidores possam planejar seus gastos com energia e se proteger de oscilações no custo das diversas fontes, reajustes do mercado cativo e mudanças das bandeiras tarifárias.


Das Assessorias

bottom of page