• Thailan Jaros

Arrecadação de ISS aumentou 24% em Ponta Grossa no ano passado

De acordo com a Secretaria Municipal da Fazenda, o município arrecadou R$ 134 milhões em 2021.

Foto: Prefeitura de Ponta Grossa

A arrecadação do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) aumentou 24% em Ponta Grossa no ano passado, em comparação com o ano anterior.


De acordo com a Secretaria Municipal da Fazenda, o município arrecadou R$ 134 milhões em 2021. A arrecadação em 2020 foi de R$ 108 milhões. O imposto é cobrado sobre a prestação de serviços de empresas e profissionais autônomos.


O ISS é recolhido pelos municípios em praticamente todas as operações que envolvem serviços. Um levantamento feito pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) mostrou que em toda a região sul houve uma queda na arrecadação do ISS entre 2019 e 2020.


Conforme o estudo, a arrecadação de 2020 foi 3,9% menor que em 2019. A região sul é a segunda com maior redução, ficando atrás apenas do Nordeste, que teve o recolhimento 4,6% menor.


Entre as 15 cidades avaliadas, somente Ponta Grossa e Maringá aumentaram a arrecadação. Em Ponta Grossa a receita do ISS passou de R$ 100 milhões para R$ 108 milhões.


Já em Maringá, de R$ 226,9 milhões para R$ 229,1 milhões, em valores corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de 2020.


De acordo com o levantamento, as capitais tiveram os maiores recolhimentos entre as cidades selecionadas. Curitiba arrecadou R$ 1,3 bilhão, Porto Alegre recolheu R$ 1 bilhão, e Florianópolis recebeu R$ 324,2 milhões.


Nas três capitais houve queda na receita de ISS em 2020. A mais acentuada foi em Florianópolis, com redução de 8,8%, seguida de Porto Alegre, que reduziu 8,4% e Curitiba, que teve queda de 6,9%.


Londrina também teve um declínio significativo na arrecadação, de 8,6%, diminuindo o total recolhido de R$ R$ 262,6 milhões para R$ 240,2 milhões.


Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o setor de serviços tem o maior estoque de empregos em Ponta Grossa, com 41.722 pessoas empregadas.


O setor fechou 2021 com 1.146 contratações a mais do que demissões.


Ouça: