• Redação

Audiência Pública discute 'passaporte sanitário' em Ponta Grossa

A sessão reuniu profissionais de saúde e a população para debater a obrigatoriedade de comprovação das doses de vacina para frequentar estabelecimentos na cidade.

Uma audiência Pública na Câmara Municipal discutiu, nesta sexta-feira (15), o passaporte da vacina em Ponta Grossa. A sessão reuniu profissionais de saúde e a população para debater a obrigatoriedade de comprovação das doses de vacina para frequentar estabelecimentos na cidade.


A audiência pública começou às 14h e teve transmissão ao vivo pela internet. A sessão foi organizada pelos vereadores Leandro Bianco (Republicanos), Léo farmacêutico (PV), Missionaria Adriana (SD) e Felipe Passos (PSDB).


Em Ponta Grossa, o decreto com as medidas restritivas da prefeitura prevê que eventos com cobrança de ingresso devem exigir apresentação da carteira de vacina com as duas doses ou dose única.


Segundo o decreto, caso o cliente não comprove a vacinação, deve apresentar um teste de Covid-19 negativo de, no máximo, dois dias.


Na manhã desta sexta-feira (15), o secretário de saúde do Paraná, Beto Preto, disse, em entrevista à CBN Maringá, que o governo do estado estuda a possibilidade de exigir a carteira de vacinação, mas que essa medida deveria vir do Governo Federal.


No final do mês passado, um projeto que criava o passaporte da vacina em todo o Paraná foi arquivado na Assembleia Legislativa. A decisão foi tomada, na época, pelos próprios autores da proposta e foi arquivada porque os deputados entenderam que que a implantação compete à Secretaria de Estado da Saúde e ao Poder Executivo.


Outros dois projetos na Assembleia Legislativa do Paraná pedem a proibição da exigência de passaporte sanitário no estado. As prospostas aguardam análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), além das demais comissões, antes de seguir para análise dos parlamentares em plenário.