top of page
  • CBN Ponta Grossa

Aumento de casos de pneumonia e gripe preocupa autoridades de saúde

Dados da Secretaria da Saúde do Paraná revelam que de janeiro a abril deste ano, 9.950 pessoas foram hospitalizadas no estado para tratamento de pneumonia ou gripe, resultando em uma média de 82 internamentos por dia, com 1.521 óbitos. 


Vacinas contra influenza e pneumococo reduzem mortes e internações Foto: Gabriel Rosa/AEN

Em 2023, a média diária de internações foi de 91 pessoas nos primeiros quatro meses, com 1.145 mortes. Ao longo do ano passado, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou 3.694 internamentos e 4.409 óbitos relacionados a essas enfermidades.


A coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesa, Acácia Nasr, enfatiza que as infecções respiratórias tendem a aumentar no inverno. "Os meses de junho e julho são os mais críticos devido ao frio, que reduz a imunidade, aumentando o risco. É essencial estar atento aos sintomas, manter-se hidratado, evitar contato próximo com pessoas doentes e praticar a etiqueta respiratória."


A etiqueta respiratória recomenda o uso de máscaras em caso de sintomas respiratórios, lavagem frequente das mãos, cobertura da boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel descartável, e ventilação adequada dos ambientes.

Em caso de suspeita, o usuário do SUS deve procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para avaliação. Se necessário, será encaminhado para uma unidade de referência. A Atenção Básica à Saúde (APS) registrou 227.988 atendimentos para pneumonia e gripe em 2023, e 84.639 até maio de 2024.


Rosiane Aparecida da Silva, chefe da Divisão de Saúde da Família da Sesa, destaca a importância da vigilância, especialmente entre idosos, crianças e pessoas com doenças crônicas. "Os sintomas incluem tosse, dor de garganta, mal-estar, secreção nasal e febre. Alguns casos evoluem para pneumonia, exigindo cuidado e prevenção constantes."


A pneumonia é uma infecção pulmonar causada por micro-organismos como bactérias, enquanto os vírus da gripe podem diminuir a imunidade e predispor a infecções secundárias. O tratamento varia conforme o agente causador, incluindo antibióticos para infecções bacterianas e antivirais para a influenza.


As vacinas contra influenza e pneumococo são fundamentais para reduzir internações e mortes por pneumonia. O SUS oferece diferentes tipos de imunização para grupos de risco, como crianças, idosos e pessoas com condições médicas específicas.


Por Vitória Testa, com supervisão de Emmanuel Fornazari


*Texto escrito a partir de informações da Sesa


コメント


bottom of page