• Thailan Jaros

Batalhão da PM de Guarapuava vai se chamar Ricieri Chagas em homenagem a policial morto em ataque

O militar estava em uma viatura da corporação alvejada com tiros de fuzil e foi baleado na região da cabeça.

O 16º Batalhão da Polícia Militar de Guarapuava, na região central do Paraná, vai se chamar Batalhão 3º Sargento PM Ricieri Chagas em homenagem ao policial que morreu em abril após a tentativa de assalto a uma transportadora de valores do município.


O decreto foi assinado pelo governador Ratinho Junior nesta segunda-feira (13). O militar estava em uma viatura da corporação alvejada com tiros de fuzil e foi baleado na região da cabeça.


Chagas ficou internado por uma semana, mas não resistiu aos ferimentos. Além do policial, um outro militar e um civil tiveram ferimentos leves. A troca do nome da unidade vai ser oficializado em uma solenidade nesta terça-feira (14).


Durante o evento, a Polícia vai lançar uma nova fase da Operação Pronta Resposta, que atua na repressão de crimes de maior risco, como roubos e furtos a agência bancárias, explosão a caixas eletrônicos e nas ações do chamado novo cangaço.


O sargento Ricieri Chagas ingressou na Polícia Militar em setembro de 1995. Atuou no 16º Batalhão de Polícia Militar em Guarapuava e no Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFRON).


Em Guarapuava, trabalhou nos extintos Grupo de Operações Especiais e Tático Móvel Auto, além da ROTAM e Pelotão de Trânsito. Durante cerca de 15 anos atuou no Pelotão de Choque do 16° BPM.


Conforme a PM, Chagas teve uma carreira exemplar e é reconhecido em todo o País por ter representado a corporação na Força Nacional. Ele morreu com 48 anos e deixou esposa e um casal de filhos.


Ainda em abril, o governador assinou a promoção póstuma do então cabo Ricieri para o cargo de 3º sargento.