top of page
  • CBN Ponta Grossa

Bombeiros de Ponta Grossa atuam em operação humanitária no Rio Grande do Sul

Profissionais integram uma equipe com mais de 60 profissionais enviados ao estado gaúcho que enfrenta a maior tragédia natural de sua história.

Foto: Gabriel Rosa/AEN

Dois bombeiros de Ponta Grossa atuam nas operações de busca e salvamento em apoio às forças de segurança do Rio Grande do Sul. Eles integram uma equipe com mais de 60 profissionais enviados ao estado que enfrenta a maior tragédia natural de sua história.


Os Bombeiros auxiliam nos trabalhos de busca por sobreviventes e ajuda humanitária. Pelo menos 46 pessoas já morreram e 46 estão desaparecidas. São 20.490 desalojados, 4.794 desabrigados e 92 municípios afetados.


Os bombeiros ponta-grossenses foram enviados na manhã de domingo (10) para o município gaúcho de Encantado. Além deles, outro bombeiro de Palmeira compõe a equipe do 2º Grupamento de Bombeiros.


O grupo saiu do Quartel do Corpo de Bombeiros em Curitiba em 15 viaturas, com profissionais de Cascavel, Londrina e Curitiba. Outros dois profissionais de Irati integram a missão. Os primeiros militares paranaenses foram enviados na quarta-feira (06) e fazem parte do Batalhão da Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA).


Esse primeiro grupo foi encorpado na sexta-feira (8) e no sábado (9) com a chegada de mais sete bombeiros e três cães. Ao todo, foram 11 na semana passada e mais 52 nesse domingo (19). A tropa paranaense conta com apoio de uma aeronave. Os bombeiros do Grupo de Operações de Socorro Tático (Gost) atuaram recentemente na explosão de uma cooperativa em Palotina, no Oeste do Paraná.


Além das buscas por 46 desaparecidos, as equipes também colaboram no transporte de donativos nas regiões de difícil acesso. Tudo é coordenado pelas forças de segurança do Rio Grande do Sul.


A tragédia no estado foi ocasionada por um fenômeno originado a partir de um sistema de baixa pressão, que provocou chuvas intensas ao longo da segunda-feira da semana passada e que, conforme se deslocou em direção à região litorânea e ao oceano acabou ganhando mais intensidade, transformando-se em um ciclone.


Em junho, o Rio Grande do Sul já havia passado por uma situação similar, quando 16 pessoas perderam a vida também devido a um ciclone extratropical.


Equipes da Defesa Civil vão ajudar com documentação de municípios


Além dos Bombeiros, uma equipe da Defesa Civil do Paraná embarcou nesta segunda-feira (11) para auxiliar no atendimento às cidades gaúchas atingidas.


O objetivo é ajudar os municípios quanto à documentação necessária para validar o Estado de Calamidade Pública, necessária para acessar os recursos estaduais e federais. De acordo com o Governo do Estado, o Paraná tem grande expertise na gestão de desastres, com trabalho tanto de resposta imediata à população como no auxílio aos municípios na elaboração das declarações de situação de emergência ou de estado de calamidade pública.


Com as informações técnicas contidas nesses decretos, as prefeituras conseguem ter acesso aos recursos estaduais e federais que permitem a assistência humanitária e ações de restabelecimento e reconstrução dos locais atingidos.


O chefe da equipe, capitão Gomes, é membro do Grupo de Apoio a Desastres – GADE, do governo federal, e já prestou auxílio anteriormente em diversos estados. Entre a documentação reunida para a elaboração dos decretos estão formulários de avaliação de danos, mapas das áreas afetadas e relatórios sobre a intensidade do impacto social dos desastres.


Bombeiro de Ponta Grossa também ajudou em incêndios no Canadá


Entre julho e agosto, um bombeiro ponta-grossense auxiliou no combate aos incêndios florestais no Canadá. O 1º tenente Bruno Eduardo Da Macena, do 2º Grupamento de Bombeiros de Ponta Grossa, foi um dos 100 profissionais brasileiros que integraram a missão.


Ele ficou no país norte-americano de 21 de julho a 23 de agosto. A missão foi organizada pela Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores. Uma das diferenças da missão canadense em relação às realizadas anteriormente foi a atuação integrada de diversos órgãos brasileiros, como a Força Nacional, Ibama, ICMBio e os bombeiros estaduais, organizados por meio do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (Ligabom).



Comments


bottom of page