• Redação

Conselho de Economia do Paraná critica modelo híbrido para concessão dos pedágios

Modelo de licitação é fruto da junção de dois outros sistemas. Economista diz que isso pode aumentar a tarifa dos pedágios no estado.

O novo modelo de concessão das rodovias do Paraná continua sendo debatido em todo o estado. Na semana passada, as principais entidades do setor produtivo realizaram uma série de reuniões para discutir a proposta feita pelo Ministério da Infraestrutura.


Com a coordenação da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), mais de 400 contribuições de lideranças foram colhidas. A principal reclamação é o sistema híbrido de licitação.


O modelo defendido pelo governo federal declara vencedora do leilão a concessionária que apresentar a menor tarifa de pedágio e em caso de empate será adotada a outorga, ou seja, a que oferecer mais dinheiro ao poder público.


Um ofício do Conselho Regional de Economia do Paraná, enviado ao governo do estado no mês passado, afirmou que esse modelo pode aumentar o preço dos pedágios.


Para o economista Luiz Antônio Fayet, a outorga é responsável pelo preço cobrado atualmente.


Ouça abaixo


O economista é o representante do Conselho e fez um estudo sobre os pedágios no estado. Ele afirma que o sistema de menor preço é a melhor opção.


Ouça abaixo


Os atuais contratos dos pedágios terminam em novembro deste ano.


Ouça a reportagem:



Visite

R. XV de Novembro, 591 

Centro 

- Ponta Grossa

- Paraná

- Brasil 

Ligue

Fone: (42) 3028-1300

Whats: (42) 99994-1011 

Email

jornalismo@cbnpg.com.br

Contato Comercial

opec@cbnpg.com.br