• Redação

Covid-19: Grávidas que receberam a 1ª dose da AstraZeneca devem tomar segunda da Pfizer

Conforme a Fundação Municipal de Saúde, em Ponta Grossa 24 grávidas receberam a primeira dose da AstraZeneca em maio.

Foto: AEN

Grávidas e mulheres que tiveram filhos há 45 dias que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca contra a Covid-19 devem tomar a segunda dose da Pfizer/BioNTech e, em caso de indisponibilidade, da CoronaVac/Butantan.


A orientação foi divulgada pelo Ministério da Saúde por meio de Nota Técnica na última segunda-feira (26).


A imunização da AstraZeneca em grávidas e puérperas foi suspensa no dia 11 de maio no Paraná, após orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Saúde.


Em todo o estado, 2.252 mulheres foram vacinadas com o imunizante (1.575 grávidas e 677 puérperas). No geral, até agora, 84.620 vacinas foram aplicadas neste público, incluindo os quatro imunizantes em utilização no estado.


Conforme a Fundação Municipal de Saúde, em Ponta Grossa 24 grávidas receberam a primeira dose da AstraZeneca em maio.


Ontem (27), a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) enviou um memorando para as 22 Regionais com as novas recomendações.


De acordo com o Ministério da Saúde, a nova orientação considera dados de boa resposta imune com a substituição da vacina e segurança favorável, considerando a importância da segunda dose para assegurar a efetividade contra coronavírus.


Conforme a Secretaria, a segunda dose deve ser administrada no período determinado, respeitando o intervalo adotado para o imunizante utilizado na primeira dose, ou seja, para quem tomou a primeira dose da AstraZeneca, a segunda dose com a Pfizer ou CoronaVac deve ser aplicada após 12 semanas.