• Redação

Covid-19: Serviços de apoio psicológico municipais estão disponíveis à população


Desde o mês de março, a Prefeitura Municipal, através da Fundação de Saúde (FMS) em parceria com o Programa Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva (PRMSC), vem trabalhando com ações ligadas a preocupação com a saúde mental. Por conta disso, criou-se uma Central Telefônica específica para situações ligadas ao Covid-19, mas também se trabalha com os atendimentos nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).


O canal telefônico de comunicação recebe em média 100 pedidos por dia. “Hoje temos uma rede de residentes e alunos de medicina que atuam na Central COVID-19, além do atendimento especializado pelo Estado para pessoas com síndromes depressivas ou em sofrimento”, comenta o coordenador do Núcleo de Educação Permanente da FMS, Carlos Eduardo Coradassi.


 Para o coordenador é importante que a central possa auxiliar e minimizar essas situações de sofrimento da população, que são muitas vezes, desencadeadas pelo distanciamento social. E também, contribuir com esclarecimentos.


Na Central, seis psicólogas residentes do programa são as responsáveis por prestar o acolhimento necessário a cada indivíduo. “Após identificada a demanda quem atendeu a ligação anota os dados da pessoa que está buscando o apoio, passa para as psicólogas e transfere a ligação por meio do ramal. Os profissionais dão os primeiros atendimentos e realizam encaminhamentos quanto necessário”, informa a Coordenadora de Saúde Mental, Elaine Peclat Bastos.


Diante das demandas apresentadas, são tomadas medidas padrões de acordo com a necessidade da pessoa. Uma das providências é o encaminhamento dos relatos até as Redes de Atenção Psicossocial, como o CAPS, Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS) e Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Município.


 Devido a atual situação, estabelecimentos do Município como CAPS sofreram alterações nos serviços e precisaram readaptar o tratamento realizado com os pacientes. O CAPS Infanto-juvenil, que atende crianças e jovens com transtornos mentais graves, foi um dos afetados pelo isolamento social e teve mudanças nas atividades como explica a psicóloga, Luidiane Karoline Araújo Teixeira Trajano.

“Tivemos que mudar a dinâmica. Antes tínhamos os grupos terapêuticos e com a pandemia o serviço continua, mas sem os grupos. Atualmente fazemos a assistência individual por telefone e em situações necessárias, quando não é possível resolver o problema remotamente, agendamos uma conversa”.


A psicóloga Camila da Silva Eidam de Lima, do CAPS de Transtorno Mental, que atende casos de depressão e de ansiedade em adultos, comenta que a atual situação de quarentena é algo que as pessoas não estão acostumadas. Fazendo com que, nas novas circunstâncias, fosse necessária a readequação da rotina. “Como tivemos um aumento nas demandas relacionadas a depressão, temos dado algumas orientações e suportes para as pessoas que estão passando por isso”, relata.


Assim como os outros Centros de Atenção o CAPS Álcool e Droga, também passou por readaptações no tratamento realizado com os dependentes alcoólicos e químicos. “Com o aparecimento do novo coronavírus e a necessidade dos cuidados preventivos para se evitar a contaminação, todas as atividades presenciais grupais foram suspensas. Com isso, o CAPS transferiu toda a sua atuação prioritária para o tele atendimento”, conta Fernanda de Moura Berard Siqueira, coordenadora do Centro.


Os atendimentos telefônicos são feitos pelo grupo de terapeutas dos CAPS, sendo eles psicólogo, terapeuta ocupacional, assistente social e educador físico. O trabalho remoto é realizado através do Projeto Terapêutico Singular (PTS), de forma que cada paciente mantenha o mesmo tratamento feito presencialmente. 


Contatos:

CAPS Transtorno Mental

Expediente das 8h às 18h;

Atendimento ao público das 8h às 17h, pelo número 3220-1015 com ramal 4049.


CAPS IJ - das 8 h às 17 h, pelo número 3220-1015 com ramal 4541.


CAPS Álcool e Droga

Expediente - segunda a sexta-feira, das 8 h às 17 h;

Acolhimentos e reacolhimentos de segunda a quinta-feira, das 8 h às 16 h e nas sextas-feiras, das 11 h às 13 h pelo número 3220-1000 com ramal 4047/4048.


Central COVID-19

Das 8 h às 22 h, pelo número 3220-1019.


Ouça a matéria:


Visite

R. XV de Novembro, 591 

Centro 

- Ponta Grossa

- Paraná

- Brasil 

Ligue

Fone: (42) 3028-1300

Whats: (42) 99994-1011 

Email

jornalismo@cbnpg.com.br

Contato Comercial

opec@cbnpg.com.br