• Thailan Jaros

CPI do EstaR recomenda suspensão do contrato entre AMTT e empresa

Atualizado: 12 de ago. de 2021

Oficio foi enviado hoje para a prefeitura; Vereadores afirmam que prosseguimento do contrato pode acarretar em prejuízos ao município.

Foto: Prefeitura de Ponta Grossa

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o EstaR Digital de Ponta Grossa recomendou, nesta quarta-feira (11), a imediata interrupção do contrato entre a Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT) e a Cidatec Tecnologia e Sistema LTDA.


De acordo com um ofício enviado para a prefeitura, a recomendação tem como base "elementos de prova coletados no curso da investigação". Para os vereadores, o prosseguimento do contrato pode acarretar em prejuízos financeiros ao município.


O ofício é assinado pelos membros da CPI, entre eles o presidente Izaias Salustiano, a relatora Josi do Coletivo e os vereadores Julio Kuller, Geraldo Stocco e Joce Canto.


A prefeitura afirmou que ainda não recebeu o ofício. A Cidatec informou, em nota, que está segura em "relação a legalidade do contrato entre a empresa e Município de Ponta Grossa e a prestação de serviços com os mais avançados e atualizados recursos tecnológicos, cumprindo sempre com suas obrigações".


Notas


Cidatec


A Cidatec Tecnologia e Sistemas, empresa prestadora do serviço Estar Digital em Ponta Grossa, comunica:


Estamos seguros com relação a legalidade do contrato entre a empresa e Município de Ponta Grossa e a prestação de serviços com os mais avançados e atualizados recursos tecnológicos, cumprindo sempre com suas obrigações.


O que sentimos profundamente é pela maculação de nosso nome diante à sociedade pontagrossense. Esta que sempre foi o pilar de nossa missão e valores, e centro de nossos objetivos - de levar avanços tecnológicos ao acesso da população, facilitando o seu dia a dia e tornando mais práticas as atividades cotidianas.


Prefeitura de Ponta Grossa


Sobre a indicação da CPI, a Prefeitura informa que ainda não recebeu nenhum comunicado oficial solicitando a suspensão do contrato e ressalta que não há irregularidades no contrato em vigor atualmente.


Além disso, o Município também esclarece que a suspensão do serviço no momento inviabilizaria o controle de rotatividade das vagas e a sua fiscalização pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes.


Por fim, a Prefeitura ressalta que já trabalha nos trâmites para a realização de uma nova licitação que devem ser concluídos nos próximos meses e se coloca à disposição da Comissão Parlamentar para eventuais esclarecimentos.


(Atualizado em 12/08/2021 às 15h10 para inclusão das notas oficiais)