• Thailan Jaros

Dados de mortalidade infantil evidenciam diferenças no sistema de saúde do Paraná

Municípios com menos habitantes apresentam taxas maiores, enquanto que em grandes centros o índice vem diminuindo.

Foto: Agência Brasil

A taxa de mortalidade de bebês com menos de um ano no Paraná fechou em 9,6 a cada mil crianças no ano passado. A média é menor que a nacional, de 11,8, e levemente maior que a da região sul, que fechou em 9,5 a cada mil bebês.


No entanto, dados levantados pela CBN Ponta Grossa com base em uma pesquisa realizada pelo Observatório da Infância mostram uma diferença nas taxas de mortalidade dos 399 municípios paranaenses.


O levantamento apontou que a mortalidade infantil é menor nas grandes cidades e aumenta nos pequenos municípios. Conforme os pesquisadores, esse número pode ser explicado diante da estrutura do sistema de saúde.


Cidades de pequeno e médio porte apresentam taxa acima de 30 a cada mil mortes


Segundo os dados, 23% das cidades paranaenses registram taxa de mortalidade entre 1 e nove mortes a cada mil habitantes, abaixo das médias estadual, regional e nacional.


Dentro desse cálculo, estão municípios que registraram, no ano passado, a maior média de nascimentos de crianças. Entre as cidades estão Curitiba, Colombo, Campo Largo, Guarapuava, Cascavel e União da Vitória.


O levantamento mostra, ainda, que 27% dos municípios do Paraná têm taxa de mortalidade entre 10 e 19 a cada mil bebês com menos de um ano. Nesse cálculo figuram Ponta Grossa, Londrina e Foz do Iguaçu. Os 107 municípios registram mortalidade acima da média de todo o estado.


Veja também: Metade das mortes de bebês de até um ano poderiam ter sido evitadas em Ponta Grossa no ano passado


A taxa de mortalidade de 9% das cidades está entre 20 e 29 a cada mil mortes. Conforme os dados, são municípios de médio ou pequeno porte como Mandaguaçu, Cornélio Procópio, Morretes, Ortigueira e Santa Cecília do Pavão.


De acordo com o levantamento, 5% dos municípios apresentam taxa de 30 a 39 mortes a cada mil bebês. Os números expressivos são registrados em pequenas cidades como Entre Rios do Oeste, Cândido de Abreu e Alto do Paraná.


Além disso, nove cidades registraram taxas de mortalidade acima de quarenta a cada mil bebês com menos de um ano.


Maiores cidades do Paraná registram menores índices

O maior índice de mortalidade do Paraná foi em Guaraci, município do norte do estado que tem pouco mais de 5 mil habitantes.


Segundo o levantamento, 137 cidades não registraram mortes de crianças no ano passado. Dos maiores municípios do Paraná, Cascavel tem o menor índice, de 6,5 a cada mil bebês, seguido de Guarapuava e São José dos Pinhais.


A capital Curitiba apresentou uma taxa de 7,5, Maringá 8,2, Colombo 9,4, Ponta Grossa 10,3, Londrina 10,6 e Foz do Iguaçu 12,3.


Veja também: Atenção adequada na saúde básica poderia evitar mortes de bebês, diz pesquisador


A Secretaria Estadual de Saúde afirmou, em nota, que a taxa de mortalidade tem reduzido consideravelmente ao longo dos anos no Paraná. Segundo a pasta, os dados de 2021 são considerados preliminares e podem ser alterados com a introdução de nascidos vivos no sistema de forma retroativa.


Ouça a reportagem completa: