• Thailan Jaros

Deppen: três presos da região de Ponta Grossa não retornam após "saidinha" de fim de ano

Em todo o Paraná, 150 presos não voltaram às penitenciárias.

Foto: Deppen

Conforme o Departamento de Polícia Penal do Paraná (Deppen), três presos da região de Ponta Grossa não retornaram após as saídas temporárias de final do ano. Ao todo, 63 pessoas, que estão custodiados na unidade da Lapa tiveram direito ao benefício.


Segundo o Deppen, eles saíram em dois grupos, nos dias 22 e 29 de dezembro. O retorno estava previsto para os dias 29 de dezembro e 05 de janeiro. Conhecidas como "saidinhas", as saídas temporárias são previstas em lei.


Os juízes das Varas de Execuções Penais editam uma portaria que disciplina os critérios para concessão do benefício e as condições impostas aos detentos, como o retorno ao estabelecimento prisional no dia e hora determinados.


Conforme o Departamento, a "saidinha" visa a ressocialização de presos, por meio do convívio familiar e da atribuição de mecanismos de recompensas e de aferição do senso de responsabilidade e disciplina do detento.


Os presos que não retornam no prazo passam a ser considerados foragidos e podem regredir de regime. Nesses casos, as unidades comunicam ao juiz responsável para que seja expedido um novo mandado de prisão.


Em todo o Paraná, 150 presos não voltaram às penitenciárias. De acordo com o Deppen, o número é considerado normal e dentro da média anual registrada nos últimos anos em todo o país.


Dos 1.196 presos que receberam a autorização da justiça para passar as festas de fim de ano com as suas famílias, com o benefício das saídas temporárias, 1.046 retornaram às penitenciárias paranaenses nas datas previstas.


O último grupo retornou no dia 10 de janeiro. Esta ação ocorreu em Curitiba, Maringá, Londrina e Ponta Grossa e o benefício é concedido anualmente pelo judiciário a presos que cumprem pena em regime semiaberto.


Para ter o direito à saída temporária, a pessoa privada de liberdade precisa cumprir uma série de requisitos definidos em lei que são avaliados pela juiz que acompanha a execução da pena.


Retorno nas regiões do estado


Curitiba


Na capital paranaense, 611 presos que cumprem pena na Colônia Penal Agroindustrial (CPAI), em Piraquara, foram efetivamente beneficiados com a saída temporária. Divididos em três grupos, as saídas ocorreram no dia 22, 24 e 28 de dezembro.


O retorno estava previsto para datas distintas, sendo que o último grupo precisaria voltar até 10 de janeiro. Houve o retorno de 493 presos, ou seja, 118 não voltaram a penitenciária.


Maringá


Em Maringá, 211 presos custodiados na Colônia Penal Industrial de Maringá (CPIM), deixaram a unidade penal em dois grupos, destes 197 retornaram à penitenciária e 14 presos apresentaram evasão.


As saídas estavam previstas para os dias 21 e 30 de dezembro e o retorno para o último grupo seria em 05 de janeiro.


Londrina


Na Região de Londrina, 311 presos tinham o benefício de deixar o Centro de Reintegração Social de Londrina (CRESLON). O retorno foi de 296 presos, com evasão de 15.


Na unidade prisional as saídas estavam previstas para os dias 20 e 27 de dezembro, com retorno em 27 de dezembro e 05 de janeiro, respectivamente.


Ponta Grossa


Na região de Ponta Grossa foram beneficiados com a saída temporária um total de 63 presos, que estão custodiados na unidade da Lapa.


Eles saíram em dois grupos, nos dias 22 e 29 de dezembro, e apenas três deles não retornaram. O retorno estava previsto para os dias 29 de dezembro e 05 de janeiro.