top of page
  • CBN Ponta Grossa

Especialistas comentam responsabilidades de prejuízos causados por caminhão desgovernado

Motorista e as empresas envolvidas podem responder solidariamente, isso significa que as vítimas podem escolher contra quem abrir um processo.

Foto: PRF

Pelo menos 18 veículos foram atingidos no último sábado (14) por um caminhão desgovernado entre Ponta Grossa e Curitiba. O motorista Nilson Pedro dos Santos, de 35 anos, foi preso em flagrante e admitiu ter consumido drogas e bebida alcoólica antes de dirigir.


Com os estragos, os proprietários dos veículos atingidos ainda têm dúvidas sobre de quem é a responsabilidade de arcar com os prejuízos. Especialistas ouvidos pela CBN afirmaram que o motorista e as empresas envolvidas podem responder solidariamente, isso significa que as vítimas podem escolher contra quem abrir um processo.


Na avaliação da advogada Greyce dos Santos Jacomassi, as vítimas têm o direito de cobrar os prejuízos. (Ouça abaixo).


O motorista era contratado de uma empresa dona do caminhão que prestava serviços para uma transportadora. Na ocasião, o frete foi contratado por uma cervejaria de Ponta Grossa.


Para o advogado e consultor jurídico Vinicius de Castro Medeiros, a responsabilidade recai sobre todos os que tiveram algum proveito econômico com os serviços.


O caminhoneiro saiu de Ponta Grossa e percorreu em situação de risco cerca de 130km até Curitiba. Na BR-277, o caminhão bateu contra seis veículos. Ao chegar em Curitiba, outros 12 carros foram atingidos na região da Cidade Industrial.


Conforme a Polícia Rodoviária Federal, duas viaturas tentaram localizar o veículo na rodovia, mas não conseguiram. O caminhão só parou porque apresentou falha mecânica. O motorista foi preso em flagrante e teve a prisão convertida em preventiva.


À Polícia, ele admitiu ter usado drogas e bebidas alcoólicas antes de dirigir. Disse, ainda, que estava em surto durante o trajeto. O advogado de Nilson Pedro dos Santos afirmou que ele usou drogas para conseguir terminar a viagem porque estava acordado há muitas horas.


A orientação dos especialistas ouvidos pela CBN é para que os proprietários dos veículos atingidos no incidente entrem em contato com as empresas para resolver o problema de forma extrajudicial.


A transportadora responsável pelo frete disponibilizou um contato para atender os atingidos no incidente. A empresa disse que pretende contribuir para uma solução rápida, adequada e eficiente.


De acordo com o advogado da transportadora, Alan Mincache, a restauração dos danos depende da apuração dos fatos embasada em documentos, orçamentos e demonstração para comprovar que o veículo foi atingido pelo caminhão.


Ele destaca que a empresa não é a principal responsável, já que não é proprietária do veículo, mas entende que deve atender as vítimas para encontrar uma solução justa na reparação dos danos.


A RRLog, empresa que contratou o motorista, orientou as vítimas a entrar em contato diretamente com a corretora de seguro do veículo.


A Heineken, cervejaria que contratou o frete, afirmou em nota que a carga era transportada por uma empresa que presta serviços logísticos pontuais na região e que acompanha a situação para tomar as medidas cabíveis.


A CBN perguntou também sobre a dinâmica da distribuição dos produtos e a fiscalização dos prestadores de serviços, mas não obteve resposta. O caso é investigado pela Polícia Civil.


Contatos para quem foi prejudicado pelo incidente


Quem teve prejuízo devido ao caminhão desgovernado pode entrar em contato com a transportadora pelo e-mail controladoria@rododrive.com.br e pelo WhatsApp (44) 93300-1740.


Já a RRLog disponibilizou o contato da corretora de seguro do veículo pelo telefone (44) 99124-5953 ou o departamento jurídico da empresa pelo (44) 4141-4420.


Ouça:




コメント


bottom of page