• Redação

Frente Parlamentar sobre os Pedágios discute proposta do Governo com lideranças de PG

Na audiência pública on-line, os presentes debateram o encerramento dos atuais contratos de pedágio e a nova licitação.

Nessa quinta-feira (15), membros da Frente Parlamentar sobre os Pedágios, lideranças de Ponta Grossa e dos Campos Gerais, debateram em Audiência Pública regional, o encerramento dos atuais contratos de pedágio e a nova licitação para concessão das rodovias do Estado. A reunião foi no formato remoto.


Ponta Grossa está inserida no Lote 1 do novo modelo, abrangendo 470 quilômetros de rodovias. No trecho não estão previstos novas praças de pedágio, apenas a manutenção das cincos já existentes. A cidade também é cortada pelo lotes 2 e 3 do projeto.


Durante a audiência, os participantes tiveram explicações sobre o modelo híbrido proposto pelo Ministério da Infraestrutura e puderam se posicionar. O presidente da Associação Comercial de Ponta Grossa, Douglas Taques Fonseca e presidente do Sindicato Rural de Ponta Grossa, Gustavo Ribas Netto foram algumas das lideranças que defenderam mudanças no projeto.


Ainda se posicionaram, a prefeita de Carambeí, Elisangela Pedroso, Edis Moro Conche, do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Ponta Grossa e lideranças políticas..


A Frente Parlamentar sobre os Pedágios, da Assembleia Legislativa do Paraná já realizou mais de dez audiências públicas sobre o tema. O objetivo é esclarecer dúvidas, debater e mostrar ao Governo Federal a posição dos paranaenses sobre projeto de concessão.

Eles não concordam com o modelo híbrido de concessão, taxa de outorgada ou degrau tarifário. A defesa é pela menor tarifa e segurança nas rodovias.


Nova modelo

A proposta do Governo Federal prevê um investimento de R$ 42 bilhões nos 30 anos de concessão. Serão implementadas 42 duas praças de pedágio divididas em seis lotes, em uma extensão de mais de 3,3 mil quilômetros de rodovias pedagiadas. A Taxa Interna de Retorno (TIR) regulatória adotada é de 8,47%. A TIR é um método utilizado para análise de viabilidade de projetos de investimento.


Com a nova modelagem, estão previstas 15 novas praças de pedágio, sendo quatro no Oeste, três no Sudoeste, três no Noroeste, duas no Norte e três no Norte Pioneiro. Quatro das dez praças de pedágio mais caras do Brasil estão no Paraná. Além disso, muitas obras previstas até o final do atual contrato não foram realizadas ou foram suprimidas, como duplicações de rodovias e construção de trevos e contornos. Os deputados da Frente Parlamentar defendem três critérios a serem adotados na nova modelagem de concessão: menor preço, mais obras e em menos tempo.


Imagem: Dálie Felberg / ALEP