top of page
  • CBN Ponta Grossa

REVOLUÇÃO NO AGRO: aumento da produção do agronegócio desafia produtores

Com o aumento da produção agropecuária, os produtores devem pensar em manter a sustentabilidade das propriedades, promover o menor impacto ao meio ambiente e garantir o alimento das próximas gerações.

Foto: Assessoria Xarvio

A capacidade de adaptação da agricultura brasileira chama a atenção há muito tempo. O setor produtivo passa pela modernização em todo o país e a produção agropecuária vem se desenvolvendo de forma consolidada há pelo menos 40 anos.


Essa posição coloca o Brasil como um dos grandes fornecedores de alimentos do mundo e dá a segurança alimentar à população. Uma estimativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) aponta que o Valor Bruto da Produção (VBP) da Agropecuária é projetado em R$ 1,38 trilhão neste ano.


O VBP é o faturamento bruto dos estabelecimentos rurais e considera as produções agrícolas e pecuárias, e a média de preços recebidos pelos produtores de todo o país. Toda essa produção evidencia o Brasil como um dos maiores exportadores de diversos produtos, como açúcar, café, suco de laranja, soja e as carnes.


No Paraná, o Valor Bruto da Produção cresceu 41% entre 2020 e 2021, segundo um relatório preliminar publicado pelo Departamento de Economia Rural (Deral). No ano passado, o estado somou R$ 180 bilhões em riquezas, o maior VBP da série histórica que começou há 25 anos.


Com o aumento da produção agropecuária, os produtores devem pensar em manter a sustentabilidade das propriedades, promover o menor impacto ao meio ambiente e garantir o alimento das próximas gerações.


E é isso que o produtor vem estudando nos últimos anos. Para o gerente técnico de pesquisa e desenvolvimento da Fundação ABC Luis Henrique Penckowski, é necessário o investimento em pesquisa para garantir o avanço das produções. (Ouça a reportagem abaixo).


Mesmo afetado com os fatores externos que derrubaram as economias mundiais, como a pandemia da Covid-19 e a guerra na Ucrânia, o agronegócio brasileiro tem se mostrado cada vez mais forte e atua para garantir bons níveis econômicos no país.


No Paraná, por exemplo, a longa estiagem registrada nos últimos anos não abalou o otimismo dos produtores, que encontram caminhos alternativos às crises. Uma indústria de Ponta Grossa aproveitou a oportunidade para se consolidar como uma das principais empresas especializadas na produção de fertilizantes especiais, adjuvantes e inoculantes do mundo.



Com o início da guerra no leste europeu, o mercado agrícola ficou preocupado com a possível falta de fertilizantes, já que os produtos são feitos na Europa e Rússia, os protagonistas do conflito.


O gerente comercial da empresa, André Zimmermann, comenta que a crise fez com que os produtos vendidos na agroindústria ponta-grossense fossem apresentados como uma alternativa para os produtores.


Outra preocupação dos produtores para o futuro do agro é a capacitação de pessoas que vão trabalhar no campo. Investimentos em pesquisa, o destaque do cooperativismo e a preocupação com as próximas gerações fazem do agronegócio paranaense um case de sucesso do presente, mas de olho no futuro. Afinal, sem o agro, não há comida.


Ouça:



Comments


bottom of page