• Redação

Comissão contrata entidade para formatar novo modelo de concessão do transporte público em PG

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), vai ser a responsável pelo apoio técnico no processo.

Foto: Thailan Jaros/CBN Ponta Grossa

Uma entidade técnica foi definida para prestar assessoria na formatação do novo modelo de contratação e prestação de serviços do transporte público coletivo em Ponta Grossa.


A contratação é necessária porque o atual contrato de concessão vai até 2023 e um novo processo de licitação deve ser feito já no ano que vem. Em julho, a prefeitura criou a Comissão Especial de Estudos e Projetos de Transporte Coletivo com o objetivo de avaliar e definir um novo modelo de contrato.


Essa Comissão definiu a entidade que vai acompanhar todo o processo. A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), vai ser a responsável pelo apoio técnico no processo, formatando a modelagem do novo edital, acompanhando o andamento da licitação, organizando audiências e consultas públicas.


A FIPE é um órgão de apoio institucional ao Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.


A Fundação deve ser contratada a partir de um processo de dispensa de licitação prestar serviços técnicos especializados para elaboração de modelo de concessão.


Os estudos devem considerar a viabilidade de adição de encargos de exploração e construção de estruturas para integração do transporte, alternativas de otimização de financiamento do sistema e será executado em duas etapas.


A primeira vai ser o diagnóstico do Sistema Atual e Proposta de Modelo Institucional para Licitação e a segunda etapa prevê o apoio na estruturação da concessão dos serviços de transporte.


O valor previsto no contrato com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas é de R$ 2.110.500. De acordo com a prefeitura, o contrato deve ser formalizado nos próximos dias.


A Fundação deve apresentar até o final deste ano um cronograma detalhado das etapas de trabalho, para que em janeiro iniciem o trabalho de diagnóstico do serviço em Ponta Grossa, com perfil topográfico da cidade, estudo do número de passageiros, linhas, rotas e demais informações necessárias para formular a nova proposta de serviço e formatar o novo edital.