top of page
  • CBN Ponta Grossa

Ministério Público investiga troca de mensagens racistas entre alunos da UEPG

Um processo também foi aberto na Ouvidoria da Instituição

(Foto: Arquivo).

O Ministério Público do Paraná apura um caso de racismo em um grupo de mensagens por aplicativo praticado por alunos da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Um processo também foi aberto na Ouvidoria da Instituição.


As mensagens foram trocadas por estudantes do curso de Agronomia da UEPG. Os conteúdos de teor racistas são publicados em forma de figurinhas entre os alunos. Há também mensagens de cunho homofóbico e símbolos nazistas. A CBN teve acesso aos prints das conversas, mas não vai reproduzir os conteúdos.


O racismo e qualquer tipo de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional é considerado crime no Brasil.


O caso foi denunciado de forma anônima para a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis no dia 22 de agosto. A Ouvidoria da Universidade abriu um processo e encaminhou a denúncia ao Ministério Público.


O órgão instaurou um procedimento que tramita sob sigilo para preservar a investigação. Em nota, a UEPG ressaltou que atua no combate a toda e qualquer manifestação de racismo por meio da Diretoria de Ações Afirmativas e Diversidade, a primeira do tipo em uma universidade estadual.


A Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná foi procurada e afirmou que a UEPG acompanha a situação e está tomando as medidas necessárias. Com a conclusão do processo, os estudantes podem passar por advertência interna, suspensão ou até mesmo a expulsão da Universidade.


Comments


bottom of page