top of page
  • CBN Ponta Grossa

Pesquisadores encontram primeira pintura rupestre que representa árvores de araucária no Paraná

Artigo publicado por grupo com professores da UEPG identificou representações de 13 araucárias e 20 antropomorfos.

Foto: Reprodução/Gupe

Um grupo de pesquisadores descobriu os primeiros registros de pinturas rupestres da árvore araucária, considerada símbolo do Paraná. Pinturas foram encontradas em Piraí do Sul, nos Campos Gerais do estado e podem ter sido feitas há quatro mil anos pelos povos originários Macro-Jê.


Um artigo publicado pelos pesquisadores que integram o Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas (Gupe) identificou representações de 13 araucárias e 20 antropomorfos, que podem ser humanos, animais, deuses ou elementos da natureza.


Os pesquisadores chamam a atenção para os detalhes das pinturas que podem ter sido elaborados pelos povos Macro-Jê, antepassados de comunidades indígenas presentes atualmente no sul do Brasil, como os Kaingang e Xoclengues.


A professora Fernanda Burigo Mochiutti relata que o painel foi encontrado em setembro de 2021 enquanto o grupo fazia pesquisas na Escarpa Devoniana. O grupo já encontrou outras pinturas rupestres, mas foi a primeira vez que araucárias foram identificadas.


O pesquisador Henrique Simão Pontes explica que pesquisas aprofundadas foram feitas para comprovar que os desenhos se tratavam de araucárias. Ele ressalta que ainda não é possível cravar há quanto tempo o painel foi pintado.


Para o pesquisador Alessandro Giulliano Chagas Silva, a descoberta indica que a araucária também era importante para os antepassados que viviam no Paraná.


O local que abriga o painel está localizado a 1.130 metros de altitude, próximo a um afluente do rio Piraí-Mirim. A vegetação ao redor do abrigo é composta por pastagens e matas secundárias, em diferentes estágios de regeneração, cobrindo parcialmente encostas e vales ao longo do curso d’água.


Os pesquisadores acreditam que a publicação do artigo pode abrir caminho para novas pesquisas sobre relações étnicas de povos indígenas originários com a araucária e os aspectos da evolução da paisagem regional ao longo do tempo.


Ouça a reportagem:


Comments


bottom of page