• Redação

Ponta Grossa tem aumento de 0,75% nas vendas no primeiro trimestre de 2021, aponta pesquisa

Dados são de um levantamento feito pela Fecomércio PR.

Nos primeiros três meses de 2021, Ponta Grossa registrou alta de 0,75% nas vendas em relação com o mesmo período do ano passado. Os dados são de um levantamento feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR).


O setor de autopeças teve crescimento de 34,97% em Ponta Grossa. Outros setores com aumento de vendas no primeiro trimestre foram o de Material de construção (10,05%) e “óticas, cine-som-foto” (7,48%).


Já o setor de papelarias e livrarias registrou a maior queda, com redução de 41,11%. Conforme a pesquisa, Vestuário e Tecidos (-30,15%) e lojas de departamentos (-19,35%) também apresentaram redução nas vendas.


Na comparação entre março e fevereiro deste ano, Ponta Grossa teve alta de 6,18% nas vendas. Segundo a pesquisa, o segmento de autopeças teve crescimento de 21,04%. Combustíveis (15,10%) e supermercados (10,76%) também apresentaram crescimento.


O setor de livrarias e papelarias apresentou uma redução significativa de 75,67%. Óticas, cine-foto-som apresentaram queda de 53,11% e lojas de departamentos tiveram um desempenho negativo de 42,78%.


Endividamento no Paraná


Segundo o levantamento, o percentual de endividados no estado caiu de 90,2% em abril para 89,2% em maio. Apesar da redução no endividamento, a parcela de famílias paranaenses com contas em atraso aumentou de 25,9% para 26,6% na variação mensal, enquanto 11,1% não terão condições de pagar suas dívidas, situação semelhante à registrada nos últimos três meses.


A queda do indicador de maio foi puxada principalmente pelas famílias de menor renda, que em abril estava na casa dos 89,0% e em maio caiu para 87,7%. Entre as famílias com renda superior a dez salários mínimos, o endividamento se manteve estável, com 95,8%.


A maior causa de endividamento apontada na pesquisa é o cartão de crédito, para 72% dos entrevistados ele é apontado como o principal tipo de dívida. O financiamento de carro corresponde a 11,2% do endividamento segundo o relatório da Fecomércio PR, enquanto que o financiamento de casa surge com 10,45%.


Ouça: