• Redação

Tarifa do transporte coletivo vai custar R$ 5,50 a partir de sexta-feira em Ponta Grossa

Reajuste anunciado pela prefeitura é de 27,9%. Preço atual da passagem é de R$ 4,30.

A prefeitura de Ponta Grossa anunciou nesta quarta-feira (24) um reajuste de 27,9% na tarifa do transporte coletivo. Conforme a administração, a partir da meia noite da próxima sexta-feira (26), a passagem vai custar R$ 5,50 no município.


Um decreto já foi publicado no Diário Oficial. A prefeitura explica que o principal motivo do reajuste é a necessidade de garantir a recomposição do equilíbrio econômico-financeiro do sistema.


Segundo a gestão, em função da queda no número de passageiros com a pandemia de Covid-19, o transporte coletivo "deu fortes sinais de esgotamento". Esse impacto do desequilíbrio é sentido desde meados de 2020.


De acordo com a prefeitura, o momento mais crítico foi em maio deste ano, quando os motoristas promoveram uma greve de 46 dias.


Durante esse período, algumas medidas foram adotadas pelo poder público, como a racionalização das linhas durante os finais de semana, com um novo desenho de rota e atendimento. A ação teve o objetivo de otimizar a circulação dos coletivos, manter o atendimento em todas as regiões da cidade e evitar que os ônibus circulassem vazios.


No entanto, conforme a prefeitura, mesmo com as medidas, o número de passageiros continua abaixo da margem necessária para a manutenção do serviço, o que levou à necessidade do reajuste da tarifa, para evitar o colapso do sistema.


A tarifa que entra em vigor nesta sexta-feira será de R$ 5,50, abaixo da tarifa técnica de R$ 8,35 que havia sido apontada pela AMTT. A prefeitura afirma que o reajuste também está abaixo da inflação, que alcançou uma variação de 48%, segundo o índice da Fundação Getúlio Vargas (IGP-M).


De acordo com a gestão, no mesmo período os principais insumos do transporte tiveram variações superiores. O óleo diesel sofreu um aumento de 89,7% desde o último reajuste, feito em 2019.


Outras medidas


A prefeitura também vai contratar uma auditoria externa do contrato para atender as recomendações do Ministério Público e do Conselho Municipal de Transporte e uma indicação da Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara.


Além disso, o executivo vai encaminhar à Câmara Municipal as propostas de alteração da lei 7.018/2002, que vão embasar as mudanças necessárias no contrato, para garantir a manutenção do serviço.


Entre as mudanças, que foram sugeridas pelo Conselho Municipal de Transportes, estão a mudança da forma de cobertura das chamadas gratuidades (direcionadas a idosos acima de 60 anos, portadores de deficiência, deficientes físicos, etc.), alteração no formato de gestão dos terminais de transporte, retirar do cálculo tarifário a remuneração da diretoria da VCG e também reduzir pela metade a margem do operador.


Variações de insumos no período de setembro 2019 e novembro de 2021


- ARLA 32 (aditivo obrigatório) 133%

- Pneu 275/80/R22 – 57,21%

- Pneu 295/80/R22 – 41,30%