top of page
  • CBN Ponta Grossa

Via Araucária assina documento que oficializa o início das operações

Evento aconteceu nessa segunda-feira (26), na sede do DER-PR e reuniu autoridades e imprensa. Primeiras atividades realizadas serão os reparos essenciais para garantir a segurança viária dos usuários

Foto: Divulgação

Nessa segunda-feira (26), às 12h, a concessionária Via Araucária, responsável pela concessão dos 473 quilômetros do Lote 1 de rodovias do Paraná, a EPR Litoral Pioneiro, atribuída ao lote 2, juntamente com o Governo do Estado do Paraná, celebraram a assinatura de documento que autoriza o início das atividades. A solenidade aconteceu na sede do Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná (DER-PR).


A cerimônia contou com a presença de autoridades, entre elas: Sergio Santillán, diretor-presidente da Via Araucária; Fernando Furiatti, diretor-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER); Hélio Gomes, superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) do Estado do Paraná, Luciano Lourenço, diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e Sandro Alex, secretário de Infraestrutura e Logística do Estado do Paraná.


As operações, tanto da Via Araucária quanto da EPR Litoral Pioneiro, iniciam à 0h do dia 28 de fevereiro. “O programa de concessão levará mais segurança às rodovias, investimentos em obras, levando conforto aos usuários. Sem dúvidas, os 30 anos da concessão da Via Araucária serão promissores e de sucesso ", diz Sergio Santillán em discurso durante a assinatura do termo de arrolamento.



Serviços iniciais


Nos primeiros dias de atividades, a Via Araucária irá realizar serviços essenciais, como melhorias na sinalização horizontal e vertical, implantação de defensas metálicas em pontos críticos, limpeza de pista, roçada manual e mecânica, além de intervenções no pavimento e recuperação de terraplenos.


A partir das 0h do dia 28, os usuários já contarão com socorro médico e mecânico por meio de uma equipe especializada e uma frota diversificada, composta por quatro guinchos pesados, seis guinchos leves, dois caminhões para resgate de animais, dois caminhões-pipa para apoio ao Corpo de Bombeiros e dez ambulâncias, incluindo três do tipo UTI. Esses recursos serão estrategicamente distribuídos em nove bases operacionais, assegurando cobertura eficiente ao longo de todo o trecho administrado.

O monitoramento contínuo das ocorrências será conduzido por um Centro de Controle Operacional moderno, operando 24 horas por dia. “Todas essas medidas refletem o compromisso assumido pela Via Araucária em proporcionar uma rodovia mais segura e eficiente para todos os usuários”, aponta Santillán.


Próximos passos


Entre as atividades programadas para os próximos anos de concessão estão a ampliação da capacidade das vias em mais de 344 quilômetros, 215 quilômetros de faixas adicionais e 32 quilômetros de vias marginais. Haverá ainda a construção de 63 dispositivos, entre trevos, viadutos, passagens inferiores, alças e retornos, e implantação de 14 passagens de fauna e 27 quilômetros de ciclovias. Nos trechos urbanos, serão instaladas 12 passarelas de pedestres e 86 pontos de ônibus. Haverá ainda a entrega de um Ponto de Parada e Descanso (PPD) para caminhoneiros e de uma área de escape em trecho de declive.


Investimento


Com a celebração do contrato, a empresa assume o compromisso de realizar diversos investimentos ao longo de todo o trecho, estimados em R$7,9 bilhões durante os 30 anos de concessão. Outros R$5,2 bilhões serão aplicados na operação da malha rodoviária, totalizando um aporte de cerca de R$13,1 bilhões.


“A equipe da ANTT estudou a fundo todas as rodovias do Paraná e desenhou o modelo de concessão priorizando investimento, tarifa justa e previsões de modernidade por meio da conectividade, possibilitando a locomoção integral nas vias com internet 4G”, evidenciou Luciano Lourenço, diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).


De acordo com Sandro Alex, secretário de Infraestrutura e Logística do Estado do Paraná, o início das operações é um momento importante para a população paranaense. “A concessão de rodovias significa tarifação menor, obras de melhorias e ampliação da malha rodoviária”, afirma.


(I) BR-277/PR:

- Do acesso oeste de Curitiba/PR até a Ponte sobre o Rio Barigui, em Curitiba/PR;


- Do entroncamento com a BR-476, no município de Curitiba/PR, até o entroncamento com a BR-373/PR-452 (Relógio), em Prudentópolis/PR;


- Do entroncamento com a BR-277/PR-431, no município de Campo Largo/PR, até o entroncamento com a BR-277/PR-431 (Fim do Contorno de Campo Largo), em Balsa Nova/PR;


- Do acesso a Santa no município de Balsa Nova/PR, até o entroncamento com a PR-423, em Balsa Nova/PR.

(II) BR-373/PR:

- Do entroncamento com a BR-373/PR (Caetano) no município de Ponta Grossa/PR, até o entroncamento com a BR-277/PR (Relógio), em Prudentópolis/PR.

(III) BR-376/PR:

- Do entroncamento com a BR-476 (P/Araucária) no município de Curitiba/PR, até o entroncamento com a BR-116/476 (Curitiba Sul/Pinheirinho), em Curitiba/PR.

(IV) BR-476/PR:

- Do entroncamento com a BR-376/277 (P/Araucária) no município de Curitiba/PR, até o entroncamento com a PR-427 (P/ Porto Amazonas), em Lapa/PR.

(V) PR-418:

- Do entroncamento com a BR-277/PR (Campo Comprido) no município de Curitiba/PR, até o entroncamento com a PR-417, em Colombo/PR.

(VI) PR-423:

- Do entroncamento com a BR-276 (Araucária) no município de Araucária/PR até o entroncamento com a BR-277 (Pista Direita), em Campo Largo/PR.

(VII) PR-427:

- Do entroncamento com a BR-476 no município da Lapa/PR, até o entroncamento com a BR-277, em Palmeira/PR.


Das Assessorias

Comments


bottom of page