• Thailan Jaros

Descendentes de ucranianos no Paraná lamentam ataques na Ucrânia

Paranaenses acompanham familiares e amigos na Ucrânia após ataques da Rússia.

Foto: Pixabay

Os descendentes de ucranianos no Paraná acompanham a situação que envolve o ataque da Rússia ao país do leste europeu. Cerca de 80% dessa comunidade no Brasil está no Paraná.


Estima-se que mais de 500 mil descendentes ucranianos vivem no Brasil atualmente. Além do Paraná, parte da comunidade está nos estados de Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul.


A operação militar russa começou na madrugada dessa quinta-feira (24). O presidente da Rússia, Vladmir Putin, atacou o leste da Ucrânia com misseis e explosões. Putin afirmou que quem tentar interferir ou criar ameaças deve saber que a resposta da Rússia será imediata e levará a consequências como nunca antes experimentado na história.


O Presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Inovação Brasil-Ucrânia, Sergio Maciura, destacou que as principais cidades paranaenses têm descendentes de ucranianos.


No Paraná, a capital Curitiba concentra 3% da população ucraniana, mas a cidade que mais se destaca é Prudentópolis, na região central do estado, que foi formada pela imigração e tem 75% de sua população com ascendência ucraniana.


Outros municípios com destaque são União da Vitória, Mallet, Dorizon, Apucarana, Ponta Grossa e Cascavel. Maciura contou à CBN que acompanha a situação, com parentes e amigos no leste europeu.


A imigração ucraniana no Brasil começou há cerca de 130 anos. Na época, milhares de famílias de agricultores chegaram ao país por razões sociais e econômicas. Imigrantes operários e profissionais de varias categorias, militares, ex-prisioneiros de guerra e refugiados políticos também chegaram ao Brasil.


Ao longo de mais de um século, a comunidade ucraniana contribuiu para a cultura do Paraná. Vilson José Kotviski é considerado um dos expoentes da cultura ucraniana no Sul do Paraná e Planalto Norte Catarinense.


Ele é o atual presidente do Clube Ucraniano e do Folclore Ucraniano Kalena no Vale do Iguaçu e afirmou que vê com preocupação a guerra no leste europeu.


Kotviski é artesão de pêssankas, tradição ucraniana que simboliza a vida, a saúde e a prosperidade. Ele também é autor de livros sobre a cultura do país.


Em entrevista à CBN Curitiba, o presidente da Representação Ucraniano Brasileira, Vitório Sorothiuk, pediu que a população e os governos se preparem para a ajuda humanitária.


Ouça: